Receba a Newsletter

Notícias

Fundação Dom Cabral lança programa focado em capacitação de negociadores trabalhistas

Publicado em: 5 de julho de 2018 às 3:58 pm   /   by   /   comments (0)

A Reforma Trabalhista trouxe muitas novidades às relações de trabalho no Brasil. Entre elas está a possibilidade de profissionalização dos prepostos, representantes das empresas na justiça do trabalho. Atenta aos movimentos do mercado, a Fundação Dom Cabral (FDC) lança o Programa de Desenvolvimento de Competências em Negociações Trabalhistas.

Referência no assunto, o juiz auxiliar da vice-presidência do Tribunal Superior do Trabalho (TST), especialista em conciliação e negociação, Rogerio Neiva, é um dos professores do curso. De acordo com ele, o objetivo é capacitar profissionais em negociação que atendam aos interesses das partes envolvidas nas ações da justiça do trabalho. “Algumas empresas estão procurando resolver seus processos pela via do acordo, mas não contam com pessoas preparadas para dar suporte e promover as negociações”, ressalta o juiz.

Rogério explica que as empresas estão começando a perceber a importância da gestão dos passivos trabalhistas em decorrência da seguinte lógica: a cada processo, as empresas precisam provisionar nos seus balanços uma estimativa de despesa para os processos trabalhistas.

“Além de impactar o fluxo financeiro da empresa, esses valores geram custo financeiro e de oportunidade. Sem contar que o custo do dinheiro hoje no mercado, que se pauta pela Selic (em cerca de 7% ao ano), é menor do que o custo do processo trabalhista (que está em 12% mais IPCA, podendo chegar a 14% ao ano)”, ressalta o juiz.

Com essa e outras soluções educacionais, a FDC, classificada como a melhor escola da América Latina por 12 anos consecutivos, pelo Jornal Inglês Financial Times (FT), visa fomentar o desenvolvimento econômico e social para o país.

Segundo a coordenadora do curso, Paula Oliveira, atualmente no Brasil, as empresas e os trabalhadores estão vivenciando, ao mesmo tempo, os efeitos da crise, as adaptações advindas da Reforma Trabalhista e as mudanças globais geradas pelo uso intensivo das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) nos processos de trabalho.

“Trata-se de um momento em que as relações de trabalho tendem a estar mais tensionadas. Isso torna ainda mais necessário e premente a capacitação de profissionais que negociem cooperativamente soluções de consenso para conflitos trabalhistas e que contribuam para restaurar a confiança nas instituições”, afirma a coordenadora.

Relações de Trabalho

Desde 2010, a FDC já oferece ao mercado o Programa de Atualização profissional em Gestão de Relações de Trabalho (PAGRT), cujo foco está na capacitação de executivos em negociações coletivas, prevenção de conflitos trabalhistas e mitigação de riscos.

Para Paula, essa nova iniciativa nasce do sucesso do PAGRT e da intencionalidade da FDC em promover o desenvolvimento sistêmico das organizações, sejam privadas ou públicas. “Com esse novo programa a ênfase está no desenvolvimento das organizações que poderão analisar o seu passivo trabalhista; usando métodos de Law-analytics, resolver os conflitos já judicializados e, ao mesmo tempo, implementar ações voltadas ao engajamento dos colaboradores, à restauração da confiança na gestão e à mitigação de riscos de novos processos”.

Para Neiva, a iniciativa da Fundação foi muito significativa, pois há a necessidade no mercado, num tema relevante para a sociedade. “Como entusiasta e estudioso da solução de consenso para conflitos trabalhistas e da negociação trabalhista como ferramenta de resolução de disputas, considero importantíssima a iniciativa. Acredito que as empresas, os trabalhadores e o Judiciário só têm a ganhar”, afirma.