Gentileza gera gentileza

Eduardo Zugaib*

Toda viagem começa com um primeiro passo. Toda construção começa pelo primeiro tijolo. Todo livro começa pela primeira palavra, toda música pelo primeiro acorde. Toda revolução real e sustentável começa por uma pequena mudança, especialmente quando falamos do nosso plano comportamental, ou seja, das atitudes que incorporamos em nossa vida ao longo dos anos e que acabam se transformando em paradigmas, em padrões imutáveis e, muitas vezes, limitantes.

Passamos boa parte da nossa vida adiando decisões, à espera da ocorrência de grandes eventos. Delegamos exclusivamente a eles as nossas possibilidades de mudança. Diante dessa espera interminável, o tempo acaba passando. E nossas atitudes nos sedimentam dentro de nossas zonas de conforto, onde nos acomodamos e passamos a observar a vida através da janela, observando o mundo que corre lá fora, sem correr riscos.

Na espera pelo grande evento, esquecemos das pequenas atitudes que podem, desde já, alimentar gradativamente nossos sonhos, transformando-os em metas reais e tangíveis. Treinar nossas pequenas atitudes pode ser um bom começo para a mudança, principalmente no campo dos nossos relacionamentos, a partir da adoção de pequenos gestos de gentileza que, sem percebermos, acabam criando uma percepção positiva em torno da gente.

Dar um bom dia sincero, apertar com firmeza a mão de alguém, ouvir antes de falar, sorrir sem compromisso ou desejo de ser retribuído, agradecer sempre. Estes são pequenos atos que, sem perceber, vamos deixando pra trás, focando apenas na busca do grande evento que vai mudar nossas vidas. Porém, nem sempre o grande evento vem. E quando damos conta, o tempo passou, deixando espaço apenas para arrependimentos.

Resultados positivos e concretos podem começar desde já a serem construídos, a partir de pequenas atitudes. São elas que formam cada página, tijolo, metro que acumulamos que, com o passar do tempo, transformam-se em grandes recompensas. “Gentileza gera gentileza”, não só dizia como também escrevia, aos pés do Viaduto do Gasômetro, no Rio de Janeiro, o profeta urbano José Datrino. Quando abrimos espaço em nossas vidas para as pequenas gentilezas, não apenas assimilamos, como nos tornamos parte fundamental de qualquer mudança.

*Eduardo Zugaib é escritor, autor do Best Seller “A Revolução do Pouquinho”, profissional de comunicação e marketing, professor de pós-graduação, palestrante motivacional e comportamental. Diretor-executivo da Z/Training, ministra treinamentos nas áreas de Desenvolvimento Humano e Performance Organizacional. www.eduardozugaib.com.br


Vídeo recomendado:

Administração do Tempo

Julio Amorim dá 4 dicas preciosas que irão te ajudar no gerenciamento de atividades e tornar seu vida profissionais mais produtiva.