O poder da mente

João Gonsalves*

Vivemos em uma sociedade caótica. O imediatismo e a ansiedade fazem parte do século XXI. Tudo é para ontem, tudo é perder tempo, a informação chega a todos de maneira quase instantânea e nós precisamos responder rapidamente a essa demanda, somos cada vez mais exigidos. No entanto, a reação a esse bombardeio nem sempre é imediata e as frustrações acabam por assolar as pessoas.

A resposta para o fim desses problemas é mais simples que possamos imaginar: a mente. Por mais que represente apenas 2% da massa do corpo, o cérebro é capaz de fazer a mudança e construir uma nova realidade. Quem estuda um pouco de neurociência sabe que o nosso cérebro é formado por conexões neurais e essa estrutura é que possibilita a ação. Fisicamente o corpo é coordenado pelos comandos mentais.

Compreende-se então que o cérebro ultrapassa suas funções básicas e biológicas. Ao longo da vida, são construídas malhas mentais, formadas por paradigmas individuais próprios. Até então essas malhas se mantiveram estáticas e seguíamos os mesmos padrões mentais. Entretanto, essa estrutura pode mudar: depois de ter acesso às descobertas da Autosofia, nós descobrimos um novo modelo mental que invalida muito da malha que havíamos construído anteriormente. Esse fato acaba por alterar o modo que o ser se constrói e desenvolve novas maneiras de autoconhecimento.

Cabe ressaltar que essa nova técnica não promete resultados imediatos e instantâneos. A mente é um sistema complexo e reverter toda a malha é um processo lento. O trabalho é feito artesanalmente na construção de uma nova estrutura, enquanto a outra continua ativa e habitando em conjunto. Depois disto, haverá uma consolidação da nova malha mental e a mudança da maneira de pensarmos. Para isto será preciso sempre nos mantermos conscientes e resilientes ao processo, uma vez que, a antiga forma de pensar continuará ativa e influenciando a mente.

Mesmo desejando um determinado objetivo, nossas antigas crenças nos levam a agir seguindo os velhos padrões mentais e, por consequência, a obtermos os mesmos antigos resultados. Temos que agir de maneira diferente, questionando os velhos padrões e reafirmando a nova malha mental; essa nova tomada de consciência nos encaminhará aos resultados que desejamos. O autoconhecimento é capaz sim de alterar a nossa realidade física. Um sujeito que controla a sua mente, a potencializa.

*João Gonsalves www.joaogonsalves.com.br é terapeuta transpessoal e pesquisador. Contatos: email: joaodedeusjd@uol.com.br, celular (11) 98203-1315, fanpage: João Gonsalves.


Vídeo recomendado:

Administração do Tempo

Julio Amorim dá 4 dicas preciosas que irão te ajudar no gerenciamento de atividades e tornar seu vida profissionais mais produtiva.