Você sabe ser um Consultor?

 

* Por Nelson Fukuyama

Nossa idéia de Consultor é a de um profissional que tenha atuado em área específica de algum segmento de indústria, serviços, comércio. Por exemplo, ele pode ter atuado em Administração de Relações Humanas, Finanças, Marketing, Vendas, Custos, Tecnologia de Informações. Ou pode ser um profissional com perfil generalista, que tenha atuado em diversas áreas e tenha adquirido um pouco de conhecimento de cada área.

Em determinado momento da vida, esse profissional pode decidir atuar como Consultor Independente. Ele pode ser contratado por uma empresa para atuar em um projeto específico, como o de estruturação ou reestruturação de algum departamento ou área ou na estruturação ou reestruturação de uma empresa em geral.

Tudo pode parecer fácil para esse profissional contratado como Consultor. Não vamos questionar aqui a sua capacitação técnica e habilidades para conduzir seu trabalho pois espera-se que quem o contratou tenha avaliado antes e ele consiga obter resultados com isso. O que queremos comentar é quanto à postura que ele adota dentro da empresa que o contratou. E essa deve ser a parte mais delicada e complicada de seu trabalho uma vez que poderá ser uma forte barreira à obtenção de resultados para o seu trabalho. Vamos ver apenas alguns comportamentos.

Consultor arrogante. Arrogância representa um grande bloqueio de comunicação com os colaboradores da empresa que o contratou. Ninguém aceita um estranho, ainda que bem recomendado, que não saiba conduzir uma conversa em bom nível. É preciso saber conversar com pessoas de todos os níveis na busca de uma informação ou na orientação de pessoas sem causar nenhum bloqueio. Ele tem que ser sutil no uso de palavras para não ser mal interpretado.

Consultor Amigo. Embora seja inegável que ter contatos com os colaboradores seja uma arma para o Consultor, é preciso deixar bem claro que, por exemplo, aquele momento de happy hour foi um momento de descontração que não deve modificar a relação profissional entre ele e os colaboradores da Empresa. Não é raro que após um happy hour algum funcionário da Empresa se ache no direito de pensar que passou a ser amigo do Consultor e daí passar a tratá-lo como tal mesmo no horário de expediente.

Consultor Humorista. É uma mania que alguns Consultores têm de chegar em determinadas empresas fazendo “gracinhas” com todas as pessoas e criando “piadinhas” sobre situações que encontra no dia a dia. Em determinadas empresas que tenham uma cultura interna que não permitem comportamento assim, um Consultor pode sair-se muito mal.

Consultor mal encaminhados. Essa é uma característica interessante. Um profissional é contratado pelo mais nível de hierarquia da Empresa no entanto perde sua direção e passa a se relacionar com funcionários de escalão menor ao invés de continuar marcando presença e mantendo contato com pessoas da alta direção da Empresa. Comportamento assim traz uma perda no nível de informações e desenvolvimento do trabalho. O ideal é que o Consultor procure manter seu contato inicial, participando das atividades possíveis com pessoas do alto escalão da Empresa. Um exemplo, ele deve procurar estar mais próximo dessas pessoas na maior parte do tempo, almoçando com elas, reunindo-se com elas.

Consultor sem segredos. Falamos do profissional que não consegue guardar um segredo qualquer quando conversa com outras pessoas. Se ele encontra uma deficiência, por exemplo, em determinada área da Empresa, ele passa a comentar com todos, mesmo antes de avaliar as conseqüências possíveis que possam advir dessa deficiência, acabando por melindrar a todos ao seu redor.

Como se pode ver há vários perfis de Consultores. Há outras questões envolvidas como vestimenta, higiene, pontualidade, assédio. Os tipos abordados são apenas alguns que merecem um pouco mais de cuidado para muitos deles. E que podem ser evitados para o bom desempenho de profissionais que na maioria dos casos deixam de prestar a atenção devidas a alguns aspectos que podem ser fatais para a continuidade e aceitação de seu trabalho pelas Empresas que os contratam.

* Nelson Fukuyama é Editor-Chefe do Dicas Profissionais e Diretor da Yama Educacional. Teve passagens por empresas de consultoria externa (atuais PriceWaterhouseCoopers, Ernst&Young, Binah), Conglomerado Financeiro nacional (Banco Itaú e Itaúsa), e empresas multinacionais (AkzoNobel, Laporte Group PLC e Walbro) como Auditor, Consultor, Controller, Superintendente e Diretor de Finanças e Administração.

 


Vídeo recomendado:

Administração do Tempo

Julio Amorim dá 4 dicas preciosas que irão te ajudar no gerenciamento de atividades e tornar seu vida profissionais mais produtiva.