Receba a Newsletter

Artigos

Como ser descoberto por um headhunter

Publicado em: 1 de fevereiro de 2018 às 6:00 am   /   by   /   comments (0)

Débora Lima da Cunha*

Todo profissional busca ser reconhecido e ter sucesso na carreira, os mais ambiciosos dedicam-se a escalar a pirâmide corporativa rumo ao topo, enquanto outros querem atingir profundidade em suas áreas de especialização. Independente do planejamento individual de carreira é importante contar com bem mais do que a sorte na hora de encontrar novas oportunidades. Nesse sentido ser descoberto por um headhunter pode ser considerado um importante passo no amadurecimento profissional, uma vez que fica explicito que você se tornou objeto de desejo no seu mercado de atuação.

De maneira muito prática, o primeiro passo para ser encontrado por um recrutador é fazer um bom trabalho e destacar-se em seu mercado de atuação. Os bons profissionais conseguem, ao longo da carreira, construir uma fama positiva para o mercado e isso, por si só, fará com que você seja descoberto quando surgir uma oportunidade para seu perfil de atuação.

Tão importante quando deixar uma boa impressão pelas empresas que passar, é manter seu perfil nas redes sociais sempre atualizado. Principalmente o perfil do LinkedIn, rede social voltada para relacionamentos profissionais. Mais do que manter o perfil atualizado com o as empresas que trabalhou, é importante descrever as atividades e projetos realizados.

Durante a busca por profissionais, o headhunter utiliza palavras chaves para encontrar o perfil, e essas palavras não necessariamente estão no título dos cargos. Além disso, o profissional precisa aprender a preencher o currículo para ser visto da maneira que deseja.

No mercado de marketing e vendas, por exemplo, é importante descrever as atividades realizadas pensando no próximo passo que quer atingir na carreira. Uma dica muito importante na hora de construir o currículo é manter a descrição das atividades técnicas. Caso o perfil técnico do currículo seja compatível com a descrição esperada para a vaga, o perfil comportamental será validado na fase de entrevistas.

Se o profissional estiver ativo na busca por uma recolocação ou por uma nova oportunidade, meu conselho é dedicar tempo na construção do currículo. Mais do que quantidade de informação é preciso ter assertividade e foco. Mirar naquilo que deseja e preencher o currículo para conquistar esse objetivo. Muitas vezes é importante até adaptar o seu currículo para cada vaga e empresa que desperte o seu interesse, ressaltando em cada uma delas aquilo que mais saltará aos olhos do recrutados, ou seja, suas experiências mais relevantes para a ocupação daquele cargo.

É fundamental tomar cuidado para ser discreto na busca, caso esteja trabalhando. Apesar de ser absolutamente normal procurar novas oportunidades de carreira ainda existe um tabu no mundo corporativo, onde se o profissional está procurando emprego significa que este está insatisfeito. Nesse caso o mais importante é continuar desempenhando um excelente trabalho e fazendo as entregas que precisam ser feitas. Dessa forma, no momento em que precisar pedir demissão, você evitará ressentimentos e saberá que fez o melhor trabalho possível no período em que esteve na empresa.

Apesar de ser a dica mais dada por recrutadores, vale o reforço: nunca minta no currículo. Parece óbvio, mas ainda pegamos muito candidatos cometendo esse erro que destrói a credibilidade do profissional.

Passada a fase de ser descoberto pelo headhunter vem a segunda parte do processo seletivo: a entrevista! Tão temida e aguardada pelos profissionais, a entrevista é a melhor chance de mostrar o quanto você deseja preencher a cadeira disponível.

Além de muita energia e disposição, é fundamental estudar sobre a empresa, o mercado de atuação e até mesmo sobre algumas correntes. Demonstrar real interesse é a melhor maneira de deixar uma boa impressão. Agora, se você não estiver tão afim assim da oportunidade, nem aceite o convite para o bate papo, isso demonstra respeito pelo seu tempo e pelo tempo do recrutador também.

O sucesso de um processo seletivo depende de uma sinergia muito grande entre candidato, vaga e empresa contratante. É indispensável ser autêntico e honesto para não criar expectativas ruins para ambos os lados. Por fim, se eu pudesse te dar apenas um conselho para ser notado por um headhunter seria: mais do que simplesmente ser visto/encontrado, faça com que você seja lembrado.

*Débora Lima da Cunha é headhnter na Trend Recruitment com seis anos de experiência no recrutamento e seleção para o mercado de marketing e vendas. Mais informações sobre a Trend Recruitmet em https://www.trendrecruitment.com/pt