Fui demitido. Onde foi que eu falhei?

Nelson Fukuyama*

Tem gente que costuma ficar muito abalada com uma demissão. Tem gente que fica abalada “por ficar”, como dizemos, para dizer que está muito preocupada com a sua carreira. Outros ficam porque se sentem injustiçados. Dizem que isso é um bom sinal, pois as pessoas de bem costumam se cobrar por alguma coisa que não deu certo em sua vida. Mas, nem sempre é possível engolir uma demissão.

É preciso entender que existem vários motivos para alguém ser desligado de uma empresa.

Um profissional pode ser demitido por ter cometido um erro grave no desempenho de suas funções ou por comportamento inadequado. Quando isso acontece, as pessoas envolvidas não tem muita coisa a questionar.

Existem os casos de dispensa sem justificativa ou por “incompatibilidade de gênios”. De repente, o profissional chega ao trabalho após um final de semana prolongado e recebe a “agradável” notícia de que foi dispensado. Quando procura saber o motivo, ele é informado que por conta de uma nova política de contenção de custos a empresa entendeu que deveria demitir alguns funcionários e ele teve a “sorte” de estar entre aqueles que foram incluídos na lista, preparada por seu superior. Pode até ser que o seu chefe não  “ia muito com a sua cara”.

Mas, a questão aqui não é ficar explorando motivos para uma demissão. O que eu pretendo dizer nesse artigo é um profissional, após uma demissão de uma empresa não deve ficar procurando os motivos que levaram a isso, nem ficar “remoendo” os motivos para ter sido desligado. Toda demissão sem motivo justo é sempre mais dolorida, mas tem que ser superada.

O que se deve fazer é encontrar argumentos para superar esse momento e continuar sua vida profissional em outra empresa. Se souber onde errou, melhor, assim não deve cometer os mesmos erros em outra empresa. Se não souber, não guardar mágoas e nem sem ficar explicando os motivos de sua saída nem criticando as atitudes tomadas pela empresa que o demitiu.

*Nelson Fukuyama é Gestor e Colunista do portal Dicas Profissionais, é Diretor e Administrador da Yama Educacional e Colunista dos portais Carreira&Sucesso da Catho, da Revista Atitude Empreendedora e Administradores.com para os quais fala sobre comportamento no ambiente de trabalho, com base em sua trajetória profissional ascendente, de trainee de consultoria externa a diretor de empresas nacionais e multinacionais.


Vídeo recomendado:

Como se vestir para uma entrevista de emprego?

A consultora de imagem e estilo Lilian Lopes fala sobre a importância de se vestir adequadamente para uma entrevista de emprego e dá dicas para homens e mulheres.